Como se planejar financeiramente para viajar nas férias

Viajar nas férias deveria ser obrigatório para a sanidade mental da população! hehehe

Brincadeiras à parte, acho mesmo muito triste quando preciamos abrir mão de algo tão enriquecedor culturalmente quanto uma viagem por uma suposta “falta de dinheiro”. Será que o que está faltando não é apenas PLANEJAMENTO?

viajar nas férias

Vamos descobrir o que você precisa pensar para que aqueles destinos maravilhosos não fiquem apenas nos likes do Instagram e se tornem realidade:

Preparada?

Defina destinos, estilo da viagem e faça um orçamento

Antes de saber se “vai dar ou não”, você precisa saber quanto custa. Sua viagem de férias pode ser na praia mais próxima, de carro mesmo, hospedada na casa de parentes. Ou você pode fazer um mochilão na Europa e se hospedar em hostel. Você pode ser do resort all inclusive no nordeste brasileiro ou em Cancun. Fazer uma roadtrip nos Estados Unidos ou viajar de ônibus pela América do Sul. Saber o que você quer, ou pelo menos, o que gostaria de fazer idealmente é seu ponto de partida.

Avalie seu orçamento mensal

Você já tem uma boa ferramenta de controle financeiro? Ela já está funcionando bem para te informar quanto sobra do seu salário todos os meses? Se sim, você já tem uma boa ideia de quanto pode juntar por mês para alcançar aquele orçamento da etapa anterior.

Se o dinheiro que lhe sobra todos os meses não alcançar o valor que você precisa, há duas opções: mudar o destino/estilo da viagem para um orçamento inferior ou levantar um dinheiro extra, com algum plano B, para conseguir esse dinheiro. O que não dá é para se endividar indefinidamente para viajar. Eu fiz isso quando viajei para Londres e não foi nada legal.

Usando o dinheiro das férias

Se você é empregada CLT, você recebe, antes de sair de férias, seu adiantamento de salário e mais ⅓ dele como benefício. A conta que você precisa fazer é a seguinte: você só pode “contar” com esse ⅓ para viajar. Não é segredo para ninguém que quando um funcionário de carteira assinada volta de férias, não recebe o salário. Mas os boletos e demais contas chegam normalmente, certo? Isso significa que o valor equivalente ao seu salário precisa ser guardado para honrar esses compromissos do mês seguinte!

Ainda para este caso, mesmo você podendo contar com esse ⅓ para torrar na viagem, observe que se você passar contas no cartão de crédito enquanto estiver viajando, esse valor precisará ser pago na próxima fatura. Tenha certeza de que vai conseguir pagar o valor total da fatura sem entrar no vermelho. Nada de parcelamento, nada de pagar o mínimo e nada de entrar no cheque especial!!!

Se você não é empregada CLT, além de não receber esse adiantamento antes de sair de férias, você provavelmente terá uma renda baixa te esperando quando voltar. Essa situação exige um planejamento ainda maior, a fim de arcar não só com suas despesas de viagem, com a fatura do cartão de crédito dos gastos feitos durante a viagem, mas também com as suas contas regulares quando você voltar.

Fiz as contas e o dinheiro não vai dar

Se nessa primeira experiência de planejamento você viu que realmente não vai dar para viajar nas férias deste ano, não se desespere. Você pode começar a se planejar desde já para as férias do ano que vem! Especialmente se ela for mais cara ou se você ainda está fazendo pouco dinheiro sobrar para investir nesse projeto.

É melhor fazer tudo com mais calma e voltar sem dívidas do que voltar de férias endividada por falta de planejamento.

Daí, para este ano, você busca um destino mais simplezinho ou aproveita seus dias de descanso para fazer atividades gratuitas que provavelmente sua cidade oferece e você nem sabe!

Vale a pena parcelar?

Não. Nunca acho que vale a pena parcelar nada nessa vida. Vamos de uma vez por todas aprender a guardar o dinheiro antes e gastar depois? Mesmo nos casos de parcelamentos “sem juros” ou quando não conseguimos desconto à vista (como na compra ode passagem aérea pela internet). Pagar à vista é libertador! Quando você fizer essa experiência alguma vez na vida, nunca mais vai voltar à moda antiga. Sério!

Vale a pena vender as férias?

Tenho questões filosóficas (hehe) contrárias a isso. Acho verdadeiramente que 30 dias de férias é pouco para um ano inteiro de trabalho! E abrir mão de uma parte desses 30 dias é bastante triste. Fique presente para essa verdade: se você se planejar bem, não precisará mais vender. Poderá usufruir desse benefício (enquanto ele ainda existir), mesmo que seja para ficar em casa sem fazer nada (o que também pode ser delicioso às vezes!!!).

Go, girl!

Como você pode ver, esse não foi um post com dicas de viagem. Há centenas de blogs de viagem que certamente são mais especializados que eu nesse ponto. Tampouco abordei dicas de compra de passagem aérea mais baratas (embora eu adore/indique muito o Melhores Destinos, Passagens Imperdíveis e MaxMilhas para tal).

Mas tentei reforçar a importância de não abrirmos mão dos momentos legais da vida por falta de dinheiro. O controle financeiro serve justamente para nos dar essa liberdade de escolha. Não há nada mais enriquecedor para a alma do que conhecer locais e culturas diferentes. É o tipo de experiência que ninguém tira de você!

E se precisar de uma ferramenta que te ajuda se planejar para esses projetos de curto/médio prazo, conte com a minha planilha.

Desejo bons planejamentos e que você possa viajar nas férias deste ano e em todos os próximos!!!